Todo empreendedor sabe que momentos de crise também são momentos de oportunidade. O mundo corporativo está repleto de exemplos de crescimento e sucesso em cenários de retração de mercados e dificuldades econômicas. Para aqueles que reconhecem o momento de alta complexidade vivenciado no Brasil, mas têm a visão de que não apenas é possível sobreviver ao atual turbilhão sócio-político-econômico em que o País mergulhou, mas, principalmente, criar uma estrutura sólida de crescimento capaz de enfrentar aspectos conjunturais extremos, o Lean Six Sigma é, com certeza, uma estratégia extremamente oportuna.

Um programa de melhoria contínua tem como principal objetivo construir uma cultura que promova a melhoria nas atividades e processos de toda a organização, propiciando ganhos estruturais nos principais indicadores do negócio, como aumento de produtividade, redução dos custos e prazos, aumento de lucratividade e competitividade da empresa, suportando o crescimento do negócio.

A metodologia Lean Six Sigma permite estruturar o programa de melhoria fundamentado em filosofias e metodologias de alto impacto, que trazem no seu escopo ferramentas analíticas e de melhoria capazes de garantir que todos os objetivos estratégicos esperados pela Liderança da empresa sejam alcançados.

A visão para a implantação de um programa de melhoria necessita ser de longo prazo, dado que a sua concretização deve ser uma prática natural, enraizada e consolidada na cultura corporativa. Esta construção é lenta e necessita de anos de investimento, foco, persistência, ajustes e resiliência requerida por qualquer iniciativa fundamentada na participação, envolvimento e comprometimento das pessoas.

Apesar de necessitar de um plano de longo prazo para sua implantação efetiva, o Lean Six Sigma, quando bem utilizado, tem a qualidade e a vantagem de gerar ganhos excepcionais no curto prazo para a organização.

Num momento de crise, no qual fatores externos à organização, como retração do mercado, economia recessiva, aumento de inflação etc afetam o crescimento e os resultados das empresas, o Lean Six Sigma, pode ser uma das melhores formas de a empresa se reinventar e reorganizar sua atuação para superar os desafios impostos por este ambiente adverso.

Isto é possível pelo fato de as organizações, mesmo com inúmeras inciativas já realizadas, terem sempre um grande potencial de melhoria em termos de eficiência, otimização e simplificação dos seus processos, além de muitas sugestões dos colaboradores que podem contribuir significativamente no esforço de superação. É fundamental que consigamos realizar todo este potencial e aprimoramento.

O Lean Six Sigma tem no seu DNA exatamente tudo o que é necessário para alcançar as melhorias desejadas pela empresa, justamente porque utiliza ferramentas altamente eficazes para identificação, priorização e execução de ações que irão eliminar desperdícios, racionalizar e otimizar processos. Podemos entender que é uma combinação perfeita esta combustão entre as oportunidades de melhoria existentes nas organizações com uma metodologia poderosa para explorar e concretizar as mudanças e ajustes necessários para atender as demandas deste momento.

Um fator fundamental para viabilizar a estratégia de utilizar o Lean Six Sigma para blindar a empresa em tempos de crise é o olhar diferenciado da Liderança frente a um momento que, apesar de trazer incertezas e restrições orçamentárias, pode ser entendido como uma oportunidade de fazer os ajustes e promover as mudanças que não puderam ser efetivadas até então. Em tempos de crescimento e mercado aquecido, a exploração de melhorias e de aumento da eficiência muitas vezes não ocorre justamente pelo fato dos recursos estarem direcionados para atender a alta demanda do mercado.

O fato é que este momento de uma menor demanda, mostra-se extremamente oportuno direcionar a energia e o foco de todos para explorar melhorias internas. Sendo uma grande oportunidade para repensar políticas, processos, padrões, produtos, serviços, estratégias de mercado, enfim, tudo o que realmente importa na gestão do negócio. Como diz o ditado, “A necessidade é a mãe da criatividade”. Para superar os desafios impostos pelo País, a empresa precisa usar toda a sua criatividade para se reinventar, sem perder de vista o crescimento futuro.

Envolvendo todos nos esforços de melhoria

A concretização das mudanças oriundas de um programa estruturado e sustentável de melhoria tem que estar fundamentada na participação e comprometimento de todos na empresa. Para tanto, é necessário construir uma cultura voltada para a busca pela excelência com a participação de todos, o que, por sua vez, só será possível se estes valores forem compartilhados espontaneamente pelas pessoas. Naturalmente, será necessário que as iniciativas para construção de uma nova cultura consigam estimular cada um na organização, a seu tempo, desenvolva e incorpore os valores necessários para que participem de forma genuína nos esforços de melhoria.

Esta construção tem que começar de alguma forma e podemos estruturá-la para que ocorra dentro de um horizonte de curto e médio prazo. O Lean Six Sigma é robusto suficiente para gerar transformações positivas e resultados consistentes e significativos para o negócio já nos estágios iniciais do programa de melhoria.

As oportunidades identificadas no início de um programa de melhoria são aquelas que chamamos de “frutas maduras”, ou seja, melhorias que são fáceis de identificar e também de realizar, sem necessidade de muito tempo ou a aplicação de metodologias complexas. É para estas oportunidades que temos que direcionar os esforços e metodologias para que possamos, de forma rápida, trazer benefícios que mantenham a empresa saudável durante esta fase de transição, até o mercado retomar sua dinâmica.

Desmistificando o Lean Six Sigma

Apesar da complexidade metodológica do Lean Six Sigma e da visão de longo prazo necessária para um programa de melhoria, sua implementação pode ser feita de forma gradual, contínua, consistente, respeitando o tamanho, segmento e cultura de cada empresa e das pessoas. O segredo é saber dosar o ritmo e a complexidade metodológica. Este processo tem que ser estruturado em um modelo evolutivo de forma que seja natural ao ambiente corporativo, sem agredir sua cultura.

Um programa que consiga equilibrar as demandas e oportunidades de melhoria existentes com as metodologias necessárias e assertivas, cria todas as condições para se obter ganhos sustentáveis no curto prazo, que fazem a diferença na estratégia para aumento da competitividade e sobrevivência no longo prazo das organizações.

 

Luis Oliveira – Sócio – Diretor da ÓTIMA Estratégia e Gestão. Bacharel em Estatística pela UNICAMP, Pós-Graduado pela FGV, Master Black Belt Lean Six Sigma, Lead Assessor ISO 9000, Examinador do PNQ por diversos anos. Especialista na definição e implantação de Gestão Estratégica de Resultados fundamentadas na metodologia Lean Six Sigma (www.otimaeg.com.br).